CLICK HERE FOR FREE BLOGGER TEMPLATES, LINK BUTTONS AND MORE! »

Thursday, July 18, 2013

Opinião: Rubi

Título: Rubi (primeiro volume da trilogia Rubi)
Autora: Kerstin Gier
Editora: Contraponto

Sinopse: O que fazer quando alguém se dá conta de que subitamente está no passado – num passado longínquo, não de décadas, mas de séculos?

Bem, em primeiro lugar há que manter a calma – é o que Gwendolyn pensa. E vai-lhe ser necessária muita calma, quando descobre ter herdado da família um invulgar gene que lhe permite viajar no tempo.
Com o arrogante (mas muito giro!) Gideon como companheiro de viagem, daqui em diante as surpresas não param. Por ser a mais jovem portadora do gene, Gwendolyn é escolhida para uma missão muito importante: viajar por várias épocas para impedir alguns erros e, basicamente, pôr o passado em ordem!
Entre alguns acidentes de percurso e algumas discussões, esta dupla tão desigual envolve-se em aventuras de toda a espécie... e ao longo de todos os tempos. Pouco a pouco, vão descobrindo que seja em que século for os opostos sempre se hão-de atrair, e que o passado já não é o que era...

Opinião: Este deve ter sido dos livros que mais rapidamente li em toda a minha vida ou, melhor ainda!, que devorei - sim, porque esse termo aplica-se a este caso com bastante à vontade (e sem grandes exageros).

Com um enredo incrivelmente cativante, personagens realistas e complexas, diálogos espirituosos, uma protagonista com um sentido de humor simplesmente fantástico e uma personalidade, reações e pensamentos com os quais é bastante fácil de simpatizar, bem como uma escrita altamente envolvente (e, sem sombra para dúvidas, com pequenos toques de humor que tornam toda a narrativa muito mais agradável) temos presentes todos os ingredientes para um excelente livro.

Nunca tinha lido nada que envolvesse viagens no tempo, portanto, tenho de deixar claro que com esta história fiquei absolutamente rendida ao potencial que um tal tema pode trazer.

O conjunto de personagens que povoam o livro torna-o ainda mais rico: desde a nossa personagem principal Gwyneth/Gwendolyn Sheperd (dependendo da versão que estejam a ler - a inglesa, a portuguesa ou até mesmo a original, em alemão) que se vê subitamente imersa num mundo para o qual nunca ninguém a preparou e do qual sabe apenas os pedaços de conversas que foi ouvindo ao longo dos anos, uma rapariga que vemos crescer ao longo do livro desde alguém que deixa tudo e todos passarem-lhe por cima até alguém que, ainda que aos pouquinhos, encontra a sua voz; a sua melhor amiga: a carismática, otimista, inteligente e entusiasta Lesley, que pesquisa incansavelmente no google e vibra com cada mistério e assunto minimamente sobrenatural (em suma, assume o papel que qualquer fã de fantasia teria se se visse atirado para dentro de uma história semelhante); o arrogante, altivo, sarcástico, charmoso, encantador e, de quando em quando, gentil Gideon de Villiers (que, apesar de ser absolutamente irresistível, ainda encaro com alguma suspeita... Apesar de Gwen estar absolutamente deliciada com a sua pessoa), também viajante no tempo e companheiro da protagonista; Charlotte, a prima de Gwen, sofisticada, inteligente, fria mas com quem me foi fácil simpatizar, compreender e ligar; e o casal de viajantes no tempo envoltos num enorme mistério, Lucy e Paul, que andam fugidos por terem roubado algo extremamente precioso e quererem impedir que os Guardiões (sociedade secreta que protege e ajuda os viajantes no tempo, investigando sobre variados assuntos e tendo como missão desvendar o segredo por detrás do segredo, que só é conseguido quando se reúne o sangue dos 12 viajantes no tempo que existem) cumpram a sua missão e de quem eu gostei imediatamente, sendo, sem dúvida alguma, das minhas personagens preferidas.

A história está envolta em pequenos mistérios e detalhes que se vão tornando cada vez mais importantes para um leitor atento, o que torna toda a leitura muito mais interessante.

É um livro absolutamente viciante, que me fez ler sem parar e querer sempre virar as páginas, tendo pequenos detalhes (como os excertos das crónicas dos Guardiões, poemas, mnemónicas e árvores genealógicas que estão sempre presentes antes de cada capítulo ser iniciado) que o tornam ainda mais maravilhoso. 

Dou-lhe 5 de 5!

Friday, June 21, 2013

Opinião: Siege and Storm

Título: Siege and Storm (segundo volume da trilogia The Grisha)
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Henry Holton and Company

Sinopse: Darkness never dies.

Hunted across the True Sea, haunted by the lives she took on the Fold, Alina must try to make a life with Mal in an unfamiliar land. She finds starting new is not easy while keeping her identity as the Sun Summoner a secret. She can’t outrun her past or her destiny for long.

The Darkling has emerged from the Shadow Fold with a terrifying new power and a dangerous plan that will test the very boundaries of the natural world. With the help of a notorious privateer, Alina returns to the country she abandoned, determined to fight the forces gathering against Ravka. But as her power grows, Alina slips deeper into the Darkling’s game of forbidden magic, and farther away from Mal. Somehow, she will have to choose between her country, her power, and the love she always thought would guide her–or risk losing everything to the oncoming storm.

Opinião: Depois de ter absolutamente adorado o primeiro volume desta trilogia a minha animação relativamente a Siege and Storm foi sempre imensa, tendo sempre vindo a crescer à medida que os meses de espera até ao seu lançamento iam diminuindo. E é com enorme satisfação que digo que digo que este livro não me desapontou, conseguindo livrar-se da típica síndrome do segundo livro com extrema facilidade.

Se já tinha gostado do crescimento de Alina ao longo de Shadow and Bone, então fiquei absolutamente rendida às transformações que ocorreram durante todo este livro. Alina vê-se agora confrontada com a sua própria sede por poder e com as suas mudanças de comportamento (e, no geral, de visão face a tudo o que a rodeia) à medida que vai avançando pelo caminho que a busca pelos amplificadores de Morozova (iniciada no primeiro volume) a obriga a percorrer.

Quanto a Mal, o caminho que este é forçado a percorrer durante Siege and Storm é doloroso, sobretudo a nível emocional, o que, obviamente, vai fazer com que a distância que o separa de Alina, psicológica e emocionalmente, seja cada vez maior. Para mim, Mal foi sempre uma personagem de que gostei mas que nunca achei que fosse certa para a nossa protagonista, alguém que sempre se me afigurou como incapaz de compreender aquilo que Alina verdadeiramente é. À medida que esta vai mudando e tornando-se cada vez mais diferente da rapariga frágil e que sempre se sentiu inútil que Mal conhecera durante quase toda a sua vida, à medida que ele próprio se sente ser empurrado para uma situação onde ele não tem qualquer utilidade e onde, pela primeira vez, se sente sem propósito, a relação entre os dois torna-se extremamente complicada.

O Darkling continua a ser o antagonista mais complexo que já li dentro do género YA. A relação dele com Alina torna-se ainda mais difícil, sobretudo devido às ações e decisões que ele toma ao longo deste livro. Ainda assim, a noção de que luz e trevas se completam e não podem existir uma sem a outra toma um papel fundamental em Siege and Storm, o que me faz ter esperança numa conclusão brilhante para esta dinâmica no terceiro livro.

Por fim, temos uma nova personagem: Sturmhond, um corsário com um sentido de humor espetacular, uma mente brilhante e uma presença que irradia confiança e que nos faz gostar imediatamente dele.

Este é, sem dúvida alguma, um livro fantástico com um final de cortar a respiração (e que só consegue deixar-me ainda mais infeliz com o facto de Ruin and Rising, o terceiro e último volume desta trilogia, só sair no próximo ano). Dou-lhe 5 de 5★!

Monday, June 17, 2013

O que chegou pelo correio... ♥

Encomendei estes livrinhos através do Book Depository há umas semanas atrás para ver como todo o sistema do site funcionava e não podia estar mais satisfeita com o resultado.
Aqui vos mostro as fotos dos mesmos:

Coleção inteira Beatiful Creatures

Siege and Storm, segundo livro da trilogia The Grisha



















Como sabem, o primeiro volume da trilogia The Grisha intitulado Shadow and Bone ganhou um lugar seguríssimo na minha lista de livros preferidos. Portanto, o meu entusiasmo para ler Siege and Storm foi sempre enorme pelo que não consegui evitar pré-encomendar o livro.

Quanto à coleção Beautiful Creatures, vi o filme que fizeram baseado no primeiro volume e gostei bastante, pelo que decidi comprar os livros e deixar-me levar e encantar por esta história de fantasia cuja premissa conseguiu, por si só, deixar-me fascinada.

Deixo-vos, assim, com a sinopse de Siege and Storm que vou começar a ler imediatamente e do qual podem esperar ler uma opinião muito em breve:

Darkness never dies.

Hunted across the True Sea, haunted by the lives she took on the Fold, Alina must try to make a life with Mal in an unfamiliar land. She finds starting new is not easy while keeping her identity as the Sun Summoner a secret. She can’t outrun her past or her destiny for long.

The Darkling has emerged from the Shadow Fold with a terrifying new power and a dangerous plan that will test the very boundaries of the natural world. With the help of a notorious privateer, Alina returns to the country she abandoned, determined to fight the forces gathering against Ravka. But as her power grows, Alina slips deeper into the Darkling’s game of forbidden magic, and farther away from Mal. Somehow, she will have to choose between her country, her power, and the love she always thought would guide her–or risk losing everything to the oncoming storm.


Boas leituras!
Maria x

Sunday, May 19, 2013

Opinião: Perfect Chemistry


Título: Perfect Chemistry (primeiro volume da trilogia Perfect Chemistry)
Autora: Simone Elkeles

Sinopse: When Brittany Ellis walks into chemistry class on the first day of senior year, she has no clue that her carefully created 'perfect' life is about to unravel before her eyes. She's forced to be lab partners with Alex Fuentes, a gang member from the other side of town, and he is about to threaten everything she's worked so hard for: her flawless reputation, her relationship with her boyfriend, and the secret that her home life is anything but perfect. 

Alex is a bad boy and he knows it. So when he makes a bet with his friends to lure Brittany into his life, he thinks nothing of it. But soon Alex realizes Brittany is a real person with real problems, and suddenly the bet he made in arrogance turns into something much more.

In a passionate story about looking beneath the surface, Simone Elkeles breaks through the stereotypes and barriers that threaten to keep Brittany and Alex apart.

Opinião: Depois de ter várias amigas a recomendar-me este livro e de me aperceber do quão adorado ele é dentro na vasta e diversificada secção do género contemporâneo, decidi finalmente dar-lhe uma oportunidade. E oh meu Deus: pura e simplesmente adorei este livro.

Com uma escrita bastante cativante, Simone Elkeles consegue-nos transportar para o mundo das suas personagens com uma subtileza, graça e mestria verdadeiramente encantadores. Alternando a narrativa entre capítulos narrados sob a perspetiva de Brittany e sob a perspetiva de Alex, a autora consegue fazer com que a nossa ligação com ambas as personagens, tão completamente diferentes uma da outra e a viver em mundos e realidades que não podiam ser mais distintas, seja extremamente forte, logo desde o início.

As personagens, desde ao casal protagonista (Alex e Brittany) até aos seus grupos de amigos, estão incrivelmente bem desenvolvidas e cada uma delas é explorada de uma forma realista  e delicada, interligando-se com a narrativa principal e acrescentando-lhe a sua própria cor, proveniente das suas personalidade e vidas individuais, que a autora trata com extrema profundidade e elegância, conseguindo construir uma história povoada por personagens realistas, interessantes, diversificadas e autênticas.

Quanto ao enredo, tenho de dizer que fiquei rendida aos seus encantos logo desde o início. Sendo uma apreciadora inegável de histórias de amor proibido, o romance que a autora desenvolveu em Perfect Chemistry é, sem dúvida alguma, um dos melhores que já li dentro desta área. A dinâmica do casal é maravilhosa: o bad boy latino com a Miss Perfection tipicamente americana (pelo menos, no exterior); o quão diferentes eles os dois são (mas, ao mesmo tempo, o quão semelhantes acabam por ser); o choque das suas personalidades, objetivos, formas de ver o mundo e planos de vida; as suas conversas carregadas de uma química que praticamente salta das páginas e nos deixa a sorrir o tempo todo... Tudo isto acrescenta um travo delicioso à narrativa.

Explorando temas sérios e complexos como as dinâmicas dos gangues americanos e com raízes numa ou noutra cultura, as expectativas dos nossos amigos, família e da sociedade em geral, a sexualidade, a amizade, o amor e os medos e inseguranças que cada um de nós alberga no nosso interior, Perfect Chemistry faz um trabalho genial ao entrelaçar momentos românticos, divertidos com outros fortes, brutais e incrivelmente emocionais.

Praticamente devorei este livro, e mal posso esperar por ler os restantes dois desta trilogia.

Dou-lhe 5 de 5★!

Monday, March 11, 2013

Opinião: Shadow and Bone

Título: Shadow and Bone (primeiro volume da trilogia The Grisha)
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Henry Holt and Company

Sinopse: Surrounded by enemies, the once-great nation of Ravka has been torn in two by the Shadow Fold, a swath of near impenetrable darkness crawling with monsters who feast on human flesh. Now its fate may rest on the shoulders of one lonely refugee.

Alina Starkov has never been good at anything. But when her regiment is attacked on the Fold and her best friend is brutally injured, Alina reveals a dormant power that saves his life—a power that could be the key to setting her war-ravaged country free. Wrenched from everything she knows, Alina is whisked away to the royal court to be trained as a member of the Grisha, the magical elite led by the mysterious Darkling.

Yet nothing in this lavish world is what it seems. With darkness looming and an entire kingdom depending on her untamed power, Alina will have to confront the secrets of the Grisha…and the secrets of her heart.

Opinião: Leigh Bardugo arranjou em mim mais uma fã. Shadow and Bone é um daqueles livros cuja premissa já nos deixa entusiasmados por si só, um daqueles livros que, assim que começamos a ler, percebemos que não nos vai desiludir.

A autora tem uma escrita que muito me agradou, narrando todos os acontecimentos de forma fluída e elegante, tendo uma particular beleza, um brilho muito próprio, especialmente notório nas descrições que, apesar de feitas sob o olhar da nossa protagonista Alina, detêm uma atmosfera muito pouco usual e que chega quase a raiar a beleza fantasiosa dos contos de fadas, conseguindo, ainda assim, manter um tom veladamente duro sob todo aquele manto de pureza.

Gostei ainda imenso do espaço onde a história se passa: Ravka, um reino inspirado na Rússia do século XVIII sendo uma lufada de ar fresco no campo da fantasia (dado que esta se passa, quase sempre, numa Europa da Idade Média) que muito me alegrou.

No que concerne ao enredo, este é absolutamente fantástico! Sendo desenvolvido com o à vontade e mestria próprios de uma boa contadora de histórias, este envolve-nos por completo, submergindo-nos na sua complexidade e deixando-nos com o sentimento de que pertencemos àquele mundo... De que conhecemos aquela sociedade e personagens, de que estamos a viver todas aquelas situações, levando-nos a sorrir com Alina, a corar com ela, a apaixonarmo-nos ao mesmo tempo que ela e, no fim, a chorarmos com e por ela.

No que diz respeito às personagens, estas são todas absolutamente bestiais de acompanhar. Alina é uma heroína complexa e multifacetada, muito longe de ser perfeita e tão carregada de qualidades e defeitos como qualquer pessoa real. É uma personagem que cresce imenso perante os nossos olhos ao longo de todo o livro, indo desde uma rapariga triste, só, frágil, vivendo presa a um passado cheio de vivências e a um amor que não é correspondido e que a faz sofrer, amedrontada pelo seu poder e incapaz de se desprender daquilo que a constringe a uma jovem alegre, ainda que facilmente manipulável devido ao seu desejo ardente de pertencer a algum lugar e de agradar, sonhadora, com noções fantasiosas da realidade e do seu futuro, apaixonada por um e rendida aos encantos e sensualidade de um outro, até chegarmos à rapariga poderosa, confiante, de inteligência viva, endurecida pela realidade e pelos acontecimentos, capaz de tomar as decisões difíceis que as situações exigem, mais soturna do que no início mas que conseguiu reter um pouco da sua vivacidade (ainda que apenas a vejamos de quando em quando), capaz de ver realmente o mundo que a rodeia e que acaba por se tornar numa sobrevivente nata.

Para além dela, tenho de mencionar Mal, melhor amigo de Alina e por quem está apaixonada há já alguns anos. Um rapaz bonito, lutador por natureza, com uma sensibilidade aguçada para o mundo que o rodeia e protetor, ainda que se me afigure como alguém que acaba por não entender verdadeiramente Alina pois não consegue compreender o seu poder, e que a limita e confina.

Existe, por fim, o Darkling, o vilão do livro e que é absolutamente delicioso. Complexo e com inúmeras facetas, é um homem poderoso, ambicioso, sedutor, cruel, frio, distante, afoito e confiante, ainda que talvez um pouco marcado pela vida e pelo mundo. É alguém que, contrariamente a Mal e apesar de estar longe de ser um ícone de bondade ou moralidade, parece perceber melhor Alina e o seu potencial, sendo alguém que a faz mostrar-se em toda a sua grandiosidade e poder. Alguém que não a retém mas que a empurra para frente! Ainda que talvez pelas razões erradas e através de métodos menos puros, ou justos ou agradáveis ou até mesmo corretos, que o desejável...

Um outro detalhe de que gostei imenso foi o facto de Alina não ser bonita: é uma rapariga simples, com cabelos castanhos lisos e sem grande volume, olhos que não se destacam e uma figura demasiado magra e sem nada de atrativo. Gostei deste pormenor porque, contrariamente à norma que se tem vindo a estabelecer na literatura fantástica, é uma jovem que não é nenhuma beleza rara, que tem problemas com a sua imagem e que se assemelha muito mais a uma rapariga normal do que aquelas protagonistas sempre tão belas com que nos deparamos com imensa frequência.

Numa nota final, quero mencionar o quanto gosto  da forma como  autora se apodeou do conceito normal de magia e o alterou, colocando-lhe regras, limites e noções diferentes das que usualmente nos são apresentadas.

Um livro absolutamente brilhante que ganhou, sem dúvida alguma, um lugar entre os meus favoritos. Dou-lhe 5 de 5★!

Saturday, February 23, 2013

O que chegou pelo correio... ♥


Encomendei este livro pela amazon há umas semanas atrás e desde então que tenho estado à espera, ansiosamente, pela sua chegada.

Qual não foi a minha surpresa quando, ontem, me deparei com esta encomenda na caixa do correio! Honestamente, estou incrivelmente animada para começar a ler esta história que, depois de todas as críticas que já li e de tudo aquilo com que me deparei na minha pesquisa pelo livro, já me deixou rendida aos seus encantos.

Deixo-vos, portanto, a sinopse deste livrinho que vou começar a ler o quanto antes e do qual podem esperar uma opinião o mais brevemente possível!

Surrounded by enemies, the once-great nation of Ravka has been torn in two by the Shadow Fold, a swath of near impenetrable darkness crawling with monsters who feast on human flesh. Now its fate may rest on the shoulders of one lonely refugee.

Alina Starkov has never been good at anything. But when her regiment is attacked on the Fold and her best friend is brutally injured, Alina reveals a dormant power that saves his life—a power that could be the key to setting her war-ravaged country free. Wrenched from everything she knows, Alina is whisked away to the royal court to be trained as a member of the Grisha, the magical elite led by the mysterious Darkling.


Yet nothing in this lavish world is what it seems. With darkness looming and an entire kingdom depending on her untamed power, Alina will have to confront the secrets of the Grisha…and the secrets of her heart.




Boas leituras!
Maria x

Wednesday, February 20, 2013

Book Haul: Fevereiro

Aqui vão os livrinhos que comprei ao longo deste mês:



Os Cus de Judas de António Lobo Antunes

As Intermitências da Morte de José Saramago
A Viagem do Elefante de José Saramago
The Waves de Virgina Woolf
A Lenda de Sapphique de Catherine Fisher


Estou extremamente entusiasmada para começar a lê-los a todos e partilhar a minha opinião sobre os mesmos aqui no blogue. Para além disto, e como não podia deixar de ser, tenho de referir o quão apaixonada estou por esta edição da Penguin de The Waves que, para além de ter uma capa linda, está cheio de pequenos detalhes que me deixaram rendida as seus encantos (para além do livro propriamente dito, temos toda uma série de anotações, análises do texto e listas com livros para aprofundar a leitura, bem como diferenças entre as edições britânica e americana).


Boas leituras,
Maria x

Friday, February 15, 2013

Opinião: Perdida

Título: Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Baraúna

Sinopse: Sofia vive em uma metrópole e está habituada com a modernidade e as facilidades que isso lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor à menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição.

Após comprar um novo celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa.

Com a ajuda do prestativo Ian, Sofia embarca numa procura às cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam levá-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Opinião: Com uma escrita simples e livre de floreados, este livro consegue captar a atenção do leitor desde as primeiras páginas. Uma espécie de conto de fadas modernizado, este livro provou  ser uma leitura extremamente agradável e, sem dúvida alguma, deliciosa. Com uma protagonista incrivelmente carismática e com quem é fácil simpatizar e compreender, uma viagem pelo tempo, um cavalheiro do século XIX,  uma fada madrinha absolutamente bizarra, um cavalo protetor, espartilhos, vestidos enormes, quadros, livros, bailes, all stars vermelhos e uma busca enternecedora (ainda que, de certa forma, não intencional) pelo amor, a felicidade e o autoconhecimento dão a este livro uma aura romântica, hilariante e, no fundo, reflexiva.

Gostei imenso da forma como todo o enredo foi conduzido, um enredo que, ainda que talvez um pouco cliché, se torna absolutamente viciante. Todas as peripécias que Sofia vive acabam por se tornar reais para nós devido à desenvoltura com que tudo é narrado, e os sorrisos e suspiros que nos acompanham durante toda esta leitura encantadora, prazenteira e que, no fundo, nos transporta para uma experiência que, a algum ponto, todos nós já sonhámos viver, são totalmente inevitáveis!

Dou-lhe 4 de 5★!

Sunday, February 10, 2013

Opinião: Glitch

Título: Glitch (primeiro volume da trilogia Glitch)
Autora: Heather Anastasiu
Editora: St. Martin's Griffin

Sinopse: In the Community, there is no more pain or war. Implanted computer chips have wiped humanity clean of destructive emotions, and thoughts are replaced by a feed from the Link network.

When Zoe starts to malfunction (or “glitch”), she suddenly begins having her own thoughts, feelings, and identity. Any anomalies must be immediately reported and repaired, but Zoe has a secret so dark it will mean certain deactivation if she is caught: her glitches have given her uncontrollable telekinetic powers.

As Zoe struggles to control her abilities and stay hidden, she meets other glitchers including Max, who can disguise his appearance, and Adrien, who has visions of the future. Both boys introduce Zoe to feelings that are entirely new. Together, this growing band of glitchers must find a way to free themselves from the controlling hands of the Community before they’re caught and deactivated, or worse. But the more Zoe learns about beauty, joy, and love, the more she has to lose if they fail. With danger lurking around every corner, she'll have to decide just how much she's willing to risk to be free.

Opinião: Com um premissa extremamente apelativa e interessante, tenho de dizer que este livro foi uma enorme desilusão.

Apesar de ser, sem dúvida alguma, um livro de leitura simples e agradável, a escrita é bastante medíocre, o enredo é desenvolvido de forma demasiado linear (e, de certa forma, até mesmo cliché) e as personagens que percorrem e enchem estas páginas estão muito pouco desenvolvidas, chegando a ser bastante uni-dimensionais e sem qualquer faceta realista que consiga apelar ao leitor, para além de carecerem, obviamente, de complexidade e capacidade de cativarem quem lê a história.

Quanto à protagonista, achei-a extremamente fraca de espírito, incrivelmente dependente dos rapazes da sua vida (em especial de Adrien, por quem se apaixona logo nos primeiros capítulos do livro sem qualquer motivo ou explicação aparente para além do facto de... Bem... Ele estar lá), com todas as motivações para as suas ações a basearem-se, maioritariamente, nos supostos sentimentos que tem (ou deixa de ter) pelos rapazes. Achei Zoe demasiado complacente, com falta de personalidade, sem grande capacidade de bater o pé e não deixar que ninguém a maltrate. No entanto, nos últimos capítulos do livro começa a crescer enquanto personagem e a mostrar alguma personalidade, bem como força (a todos os níveis).

Em suma, Glitch é uma leitura leve e engraçada cujo final me deixou a pensar que, talvez, o próximo volume desta trilogia (uma trilogia que tem todos os elementos para conseguir ser muito melhor do que aquilo que este primeiro livro conseguiu atingir) poderá estar melhor construído e desenvolvido, daí que esteja ligeiramente ansiosa para o começar a ler.

Com tudo isto dito, dou a este primeiro volume 3 de 5★!

Wednesday, February 6, 2013

Selo ♥


Obrigada à querida Li Menina Mulher por este selo! :D


O Liebster Award foi criado para promover blogues com menos de 200 seguidores e tem como missão dar a conhecer novos espaços que acreditamos serem merecedores de atenção. Mas receber este selo não implica apenas festejar! Existem algumas regras para cumprir, são elas:


  • Lista com 11 factos sobre nós
  • Responder às 11 perguntas que nos atribuíram
  • Nomear 11 bloggers com 200 ou menos seguidores, colocar o link dos respectivos blogs neste post e avisá-los/las sobre os prémios
  • Fazer 11 novas perguntas para esses mesmos bloggers. Trabalho árduo, não é? Então vamos lá a isto!
11 factos sobre mim:

1. Adoro História;
2. Sou aluna do 10º ano de Línguas e Humanidades;
3. Tenho 15 anos;
4. Adoro ler e escrever;
5. Faço parte de uma companhia de teatro amador; 
6. Sou lisboeta mas agora vivo no norte de Portugal;
7. Sou extremamente teimosa;
8. Sou uma perfecionista desde nascença;
9. O género Fantástico é o meu preferido;
10. A minha comida preferida é a indiana;
11. Sou fluente em Inglês, daí que leia bastante nessa língua.

11 perguntas que me foram atribuídas:


1. De onde surgiu o nome do teu blog?
Honestamente, não sei... Conhecendo-me como conheço, provavelmente de inspiração momentânea. 
2. O que mais desejas, neste momento da tua vida? 
Ir estudar para o estrangeiro.
3. Qual o teu livro favorito?
Uhm... A coleção Harry Potter de J. K. Rowling ou a trilogia Fronteiras do Universo de Philip Pullman.
4. Quanto tempo de vida tem o teu blogue?
Alguns meses (faz um ano em Junho).
5. Atitude quotidiana.
Dar-me a 100% em tudo o que faço, sempre: lutar até atingir o meu objetivo.
6. O que é perfeito?
Um bom livro, uma chávena de chocolate quente, chuva a bater no vidro, música a tocar e cobertores à volta dos ombros.
7. Maior medo.
Morte.
8. Uma cor.
Azul.
9. Uma viagem.
Inglaterra, agosto de 2012.
10. Um autor.
George R. R. Martin.
11. Um desejo.
Viajar por todo o mundo, de mochila às costas e sem datas marcadas...

11 blogues:

1. Silk and Magic
2. Monster Blues
3. Bookeater/Booklover
4. Algodão Doce para o Cérebro
5. Chaise Longue
6. Tales of Gondwana
7. A Rapariga dos Livros
8. Reino de Addle
9. A Bibliófila
10. Leituras do Corvo Fiacha
11. Livros, Histórias e Mundos Fantásticos

11 perguntas para os blogues acima mencionados:

1. Qual é o teu género literário preferido?
2. Qual é o teu autor(a) preferido(a)?
3. Qual é o teu livro preferido?
4. Se não gostas de um livro, paras ou continuas a ler até chegares ao fim?
5. Porque razão decidiste criar um blogue?
6. Qual é a tua personagem preferida?
7. Qual foi o último livro que lestes?
8. Se pudesses ser um vilão, qual serias?
9. Qual foi o pior livro que alguma vez leste (ou aquele de que menos gostaste)?
10. Preferes ouvir música enquanto lês ou o silêncio?
11. Se pudesses tornar uma personagem real, qual seria?

Sunday, February 3, 2013

Opinião: The Magician's Apprentice


Título: The Magician's Apprentice (prequela de A Trilogia do Mágico Negro)
Autora: Trudi Canavan

Sinopse: Taking place hundreds of years before the events of The Magicians' Guild, The Magician's Apprentice is the new novel set in the world of Trudi Canavan's Black Magician Trilogy.

In the remote village of Mandryn, Tessia serves as assistant to her father, the village Healer. Her mother would rather she found a husband. But her life is about to take a very unexpected turn.

When the advances of a visiting Sachakan mage get violent, Tessia unconsciously taps unknown reserves of magic to defend herself. Lord Dakon, the local magician, takes Tessia under his wing as an apprentice.

The hours are long and the work arduous, but soon an exciting new world opens up to her. There are fine clothes and servants - and, to Tessia's delight - regular trips to the great city of Imardin.

However, Tessia is about to discover that her magical gifts bring with them a great deal of responsibility. For a storm is approaching that threatens to tear her world apart...

Opinião: Uma vez mais, Trudi Canavan não me desiludiu. Com um enredo extremamente interessante e personagens cativantes, a autora consegue pegar no mundo que conhecemos de A Trilogia do Mágico Negro e revelar-nos um dos momentos mais marcantes da sua História: a guerra entre Kyralia e Sachaka.

Adorei conhecer todo o passado destas terras e, especialmente, o que levou à criação da Guilda dos Mágicos. De forma suave, somos conduzidos, tal como as próprias personagens, pela vida e organização político-social daquele período e as alterações que a guerra trás consigo, até chegarmos à fundação de tudo aquilo que já conhecíamos.

No que concerne às personagens, adorei a Stara (uma jovem rapariga meia Elyne, meia Sachakan) e a sua história de descoberta e crescimento pessoal, bem como a sua luta constante por ser vista como uma igual pela sociedade extremamente patriarcal e dominadora que forma Sachaka. Para além disso, gostei imenso da sua eventual descoberta daquilo que considera ser digno de dedicar o resto da sua vida, aquilo pelo qual sempre lutou e acabará por conseguir atingir de uma forma intrigante e fascinante.

Gostei também imenso de Tessia, a nossa protagonista, uma jovem de famílias humildes que descobre que é uma Mágica na pior altura possível, sendo atirada para um mundo de poder que desconhece e tendo como companheiro Jayan, um rapaz (aprendiz de Lord Dakon, tal como Tess) que a despreza mas com quem acaba por crescer à medida que a história progride. Para além disto, adorei o facto de termos assistido ao nascimento da cura com magia e ao seu desenvolvimento com e através de Tessia, a primeiro Curadora de todos os tempos, descobridora deste ramo da magia e uma das fundadoras da Guilda dos Mágicos.

Para além dela, tenho de mencionar o Rei Errik de Kyralia, que achei absolutamente maravilhoso desde a sua primeira aparência no livro.

No geral, uma obra rica em detalhes e História, ótima para quem queira descobrir mais sobre este mundo maravilhoso e ver alguns factos intrigantes com que nos deparamos durante a leitura de A Trilogia do Mágico Negro terem a sua origem revelada (como, por exemplo, o deserto de Sachaka). Dou-lhe 4 de 5★!

Sunday, January 13, 2013

Opinião: Akkarin

Título: Akkarin (terceiro volume na Trilogia do Mágico Negro)
Autora: Trudi Canavan
Editora: Bertrand Editora

Sinopse: Sonea percorreu um longo caminho desde que era apenas uma criança pobre, que possuía um incrível poder por explorar. Ganhou o respeito, ainda que amargo, dos seus colegas aprendizes e um lugar na Guilda dos Mágicos. Mas há muita coisa que gostaria de nunca ter conhecido - aquilo que testemunhou, por exemplo, na câmara subterrânea do misterioso Supremo Lorde da Guilda, Akkarin… e o conhecimento de que a Guilda era observada de perto por um antigo e temível inimigo. Ainda assim, não ousa ignorar as terríveis verdades que o Supremo Lorde partilhará com ela, mesmo temendo que possa ser um truque, um esquema de modo a que ele possa usar os seus fantásticos poderes para atingir algum objetivo obscuro. Pois Sonea sabe que o seu futuro está nas mãos de Akkarin e que só na escuridão conseguirá atingir a verdadeira grandeza… se sobreviver.

Opinião: Akkarin de Trudi Canavan é, sem dúvida alguma, o melhor livro da Trilogia do Mágico Negro, bem como o meu preferido.

Uma das razões pelas quais sei que gostei tanto deste livro prende-se com o facto de o ter lido em Inglês, uma vez que as edições portuguesas têm uma tradução que, na minha opinião, é um tanto ou quanto atabalhoada, acabando por tornar a leitura, em certos pontos, algo confusa, fazendo com que seja difícil apreciar a história a 100%, ou até mesmo a escrita da própria autora, que acaba por se tornar estranha aos nossos olhos. No entanto, tive uma agradabilíssima experiência ao defrontar-me com a sua escrita em Inglês, que é extremamente cativante, com descrições simples ainda que envolventes e, se as personagens assim o permitirem, um ligeiro e velado tom de divertimento que nos faz ter um sorriso sempre a moldar-nos as feições.

Ainda assim, esta não foi a única razão pela qual fiquei rendida a este terceiro volume desta trilogia.

A história de Akkarin é absolutamente brilhante, com um enredo  fascinante e maravilhosamente bem tecido, uma diversidade de pontos de vista que enriquecem a narração e um conjunto de personagens (tanto a principal como as secundárias) que sofrem um crescimento de tal forma espantoso, consistente, coerente e real que nos mantém colados a página atrás de página.


E por falar em personagens, tenho de mencionar Sonea.

Desde o início desta trilogia que gostei imenso de Sonea, uma personagem com qualidades e defeitos; pensamentos, ideias e ideais próprios; uma personagem que nos é apresentada, sempre, com o seu lado bom e o seu lado mau, que nos é apresentada de forma real e humana... Uma personagem que começa por ser uma jovem insegura e amedrontada dos seus poderes, ainda que uma sobrevivente e lutadora nata, mas que muda e se transforma na mulher forte, segura, irreverente, leal, capaz de fazer aquilo que é necessário, inteligente e poderosa com que nos defrontamos em Akkarin. Alguém que passou por toda uma série de injustiças mas que, no fim, se manteve de pé e com a cabeça erguida.

Para além de Sonea, tenho de mencionar Lord Dannyl, que me encantou logo desde o primeiro volume desta trilogia com a sua personalidade e modos suaves, corteses, divertidos e, sem espaço algum para dúvidas, absolutamente apaixonantes; Lord Rothen, alguém que se destacou por ser a figura paternal que Sonea tanto necessitva e, obviamente, o Supremo Lorde da Guilda, Akkarin, que me fez sorrir que nem uma tola de cada vez que fazia (ou dizia) qualquer coisa.

Com tudo isto dito, tenho de reafirmar o quanto amei este livro por apresentar uma conclusão brilhante, cheia de sorrisos e lágrimas (oh sim, muitas lágrimas...) para uma trilogia absolutamente espetacular, com personagens brilhantes e uma protagonista que se tornou numa das minhas personagens preferidas de sempre.

Dou-lhe 5 de 5★!

Thursday, January 3, 2013

Opinião: A Iniciação

Título: A Iniciação (segundo volume na Trilogia do Mágico Negro)
Autora: Trudi Canavan
Editora: Bertrand Editora

Sinopse: Imardin é uma cidade escura e de intrigas políticas, onde aqueles que detêm a magia detêm o poder. Dentro dessa ordem estabelecida errou uma jovem menina de rua com extraordinários dons mágicos. Depois de adoptada pela Guilda dos Mágicos, a sua vida mudou para sempre - mas para melhor ou para pior? Sonea sabia que iria enfrentar um momento difícil na sua formação dentro da Guilda mas não fazia ideia do nível de animosidade que iria encontrar por parte dos restantes aprendizes. Filhos e filhas das famílias mais poderosas do reino, os seus colegas parecem determinados a vê-la falhar - a qualquer custo. Mas, ao aceitar a proteção do Supremo Lorde da Guilda, Sonea pode ter abraçado um destino ainda mais temível, pois Akkarin guarda um segredo muito mais negro que suas vestes de mago.

Opinião: Depois de ter gostado sinceramente do primeiro volume desta trilogia, estava mais do que muito entusiasmada com a perspetiva da sua sequela. Sequela esta que, devo desde já dizer, não me desiludiu.

Pessoalmente, preferi este segundo livro ao primeiro, especialmente devido ao facto de este se desenrolar, na sua maioria, dentro da Guilda, com um enorme foco na vida académica de Sonea, bem como na sua relação com os restantes aprendizes e os seus professores. O resto do livro divide-se numa alternância entre duas outras linhas de narração: as viagens de Lord Dannyl, agora Segundo Embaixador da Guilda em Elyne e o dia-a-dia do Administrador da Guilda, Lorde Lorlen, confrontado com toda uma série de problemas, que vão desde uma onda assassinatos com os quais tem de lidar de forma extremamente cuidadosa a negros segredos de pessoas que lhe são próximas e que são desvendados.

De todas as diferentes perspetivas e linhas de ação, a minha preferida é a de Sonea, uma personagem com a qual simpatizo grandemente e cuja personalidade tem toda uma série de camadas que só a tornam mais complexa, real e humana aos olhos do leitor. Sendo posta de parte desde o momento em que é admitida na Guilda, Sonea passa por uma exclusão social incrivelmente pungente, tornando-se vítima de bullying por parte de vários aprendizes, chegando mesmo a atravessar situações verdadeiramente dolorosas e dramáticas que poderiam ter tido consequências absolutamente devastadores caso a jovem não fosse tão poderosa... Todo o tema é-nos apresentado incrivelmente bem adaptado ao mundo em que nos encontramos, sendo capaz de, ainda assim, fazer pontes para com a realidade vivida pela nossa sociedade, demonstrando, por exemplo, a ineficácia dos conselhos que muitas vezes são dados e a impossibilidade de contra-atacar quando se é considerado como alguém sem valor e interesse, dado que fazê-lo significaria criar uma posição ainda mais precária e instável para si mesmo dentro da organização em causa. Apesar de tudo, Sonea, através da sua força, coragem, persistência e determinação em ser bem sucedida, consegue destacar-se academicamente, sendo isso que acaba por fazê-la levar a melhor sob os seus atormentadores.

Para além de tudo isto, todas as interações entre Sonea e o Supremo Lorde da Guilda, Akkarin, bem como o enredo que se desenrola em volta de ambos, acabando mesmo por entrelaçar as vidas destas duas personagens inicialmente sem qualquer ligação aparente, é extremamente cativante sendo, sem dúvida alguma, um dos melhores aspetos deste segundo livro.

Um outro ponto que muito me agradou foi a forma como a autora abordou temas como a homossexualidade (de forma extremamente natural e humana, não entrando no campo dos estereótipos, o que muito me alegrou) e a discriminação (tanto sexual como social, ou até mesmo de género), expondo de forma crítica os problemas que a nossa sociedade ainda hoje enfrenta.

Dou-lhe, por isso, 4 de 5 por ter conseguido, fora tudo o resto, ter um final incrível e desenvolver toda a história de tal forma que tive de começar a ler o terceiro livro meras horas após ter terminado este.


Wednesday, January 2, 2013

Book Haul: Dezembro/Natal

Bem sei que tenho andado algo ausente, mas com o início do ano letivo e férias de Natal onde muito teve de ser feito e pouco tempo livre sobrou, a disponibilidade para me dedicar a este blog diminuiu drasticamente. No entanto, agora estou pronta para retirar este meu cantinho das férias forçadas em que se viu obrigado a entrar!

Assim sendo, aqui vão alguns dos livros que comprei no mês de dezembro (e que, obviamente, recebi no Natal) e sobre os quais ainda poderão vir a ler opiniões:


Uma Morte Súbita de J. K. Rowling
Trocada de Amanda Hocking (primeiro volume da trilogia Trylle)
Madame Bovary de Gustava Flaubert
Glitch de Heather Anastasiu (primeiro volume da trilogia Glitch)
O Fio das Missangas de Mia Couto (livro de contos)

Maria x